Leites e Manteigas Vegetais - Editora Alaúde

Recebemos a versão em português deste livro maravilhoso da Editora Alaúde e simplesmente adoramos. Uma obra espetacular com dicas, receitas e tudo o que você precisa saber para preparar receitinhas deliciosas e muito saudáveis em casa. "Leites e Manteigas Vegetais de Melissa King." COMPRE AQUI


Título: Leites e manteigas vegetais – Receitas caseiras
Título original: DIY Nut Milks, Nut Butters and More – From Almonds to Walnuts (EUA)
Autora: Melissa King
Tradutora: Carla Melibeu



SINOPSE

Em seu primeiro livro, Melissa King apresenta o vasto mundo dos leites e das manteigas vegetais com receitas para o leitor fazer em casa. Usando ingredientes como castanhas de caju, amêndoas, avelãs – e com alguns truques na manga, como as sementes de girassol para quem é alérgico a nozes –, Melissa mostra que é possível preparar smoothies, pastas, cookies, barrinhas, granolas, muffins, trufas, brownies e sorvetes muito melhores que as versões industrializadas. São mais de 60 receitas veganas sem glúten, ideais para quem precisa de um café da manhã nutritivo ou um lanche rápido entre as refeições e também para aqueles que só querem relaxar na companhia de uma xícara de chocolate quente com bolinhos.



SOBRE A OBRA

Um prato cheio de bons conselhos, dicas úteis e receitas incríveis, este livro é o melhor manual para fazer leites e manteigas vegetais caseiros e muito mais! Que nozes, castanhas, amêndoas e avelãs são alimentos poderosos, todo mundo já sabe. Mas que elas também são ingredientes muito versáteis na cozinha – a ponto de se transformarem em leites, manteigas, pastas, cookies, barrinhas e sorvetes – é o que os leitores vão descobrir com o livro Leites e manteigas vegetais – Receitas caseiras.

Em mais de 60 receitas, a blogueira de sucesso Melissa King apresenta receitas caseiras de leites e manteigas vegetais muito mais gostosas e nutritivas do que as versões industrializadas disponíveis no mercado. No livro, o leitor aprende, por exemplo, a fazer leite de amêndoas, manteiga de amendoim e pasta de avelã com chocolate, apenas para citar três produtos muito procurados nos supermercados e cujo preço assusta muitos consumidores.

Em seguida, Melissa continua impressionando os leitores ao transformar esses leites e manteigas em bocados apetitosos e perfeitos para serem devorados no café da manhã, em um lanche rápido entre as refeições ou naquela hora em que a pessoa precisa apenas de um momento de descanso.

Alguns exemplos são os muffins de geleia e manteiga de amêndoa, as barrinhas de granola e manteiga de amendoim e o chai latte com especiarias. Sem se esquecer de que, além de saudável, é preciso ser sustentável, a autora apresenta um capítulo especial destinado a aproveitar o resíduo que sobra após a feitura dos leites vegetais caseiros. Assim, nada é jogado fora, e essa polpa pode ser utilizada para preparar panquecas de banana com manteiga de amendoim, granola de amêndoas ou cookies.

Por fim, atenta às restrições alimentares de seus leitores, a autora apresenta opções sem oleaginosas (para os alérgicos a amendoim, nozes e castanhas). De olho também nas novas tendências, muitas receitas são indicadas para os que seguem a dieta paleolítica.


PONTOS DE DESTAQUE 


  • O livro tem mais de 60 receitas de leites e manteigas vegetais para fazer em casa, com explicações claras e detalhadas.
  • Todas as receitas são veganas e não contêm glúten; há alternativas para os alérgicos a oleaginosas (nozes e castanhas)
  • A autora tem milhares de fãs nas redes sociais: mais de 200 mil seguidores no Facebook, mais de 85 mil seguidores no Pinterest e mais de 20 mil seguidores no Instagram, além de um canal no YouTube onde ensina suas receitas.
  • A história de vida da autora é inspiradora, pois sua jornada em busca de comida de verdade e saborosa foi motivada, em parte, porque sua filha mais nova quase não chegou ao primeiro ano de vida.

Desde que foi publicado nos Estados Unidos, há um ano, o livro só recebeu críticas positivas e ganhou 5 estrelas de 96% dos leitores que resenharam a obra no Amazon.

"O  processo de preparo do leite vegetal básico é fácil e parecido para todas as variedades de oleaginosas. Essa fórmula básica serve bem para leites de amêndoa, castanha-do-pará, castanha de caju, avelã e pistache. As oleaginosas devem ficar de molho na água, de preferência da noite para o dia. (Veja mais dicas sobre como deixar as oleaginosas de molho na seção “Dicas de cozinha” na página 27). Depois do liquidificador, a maioria dos leites vegetais deve ser passada por um saco de voal ou tecido fino de algodão próprio para leites vegetais. A melhor dica que posso dar é: esteja sempre preparado. Tenha todos os materiais e utensílios à mão. Dessa forma, reduz-se a bagunça. Confie em mim." Livro Leites e Manteigas Vegetais - Receitas Caseiras"


Confira abaixo a receita do Leite Vegetal Básico extraída do livro. 



INGREDIENTES 
  • 1 xícara de oleaginosas cruas e sem sal inteiras (125 g) ou quebradas (70 g)
  • 3 1⁄2 a 4 xícaras (840 a 960 ml) de água

ADOÇANTES OPCIONAIS: (escolha um dos listados abaixo)
  • 1 colher (chá) de semente de fava de baunilha
  • 1⁄2 colher (chá) de extrato de baunilha
  • 1 tâmara sem caroço
  • 2 colheres (sopa) de xarope de bordo (maple syrup)

INSTRUÇÕES DE PREPARO

1. Deixe as oleaginosas de molho durante a noite. Gosto de usar potes de vidro (960 ml) para fazer essa etapa. Uso água filtrada. A água não precisa estar em uma temperatura específica. Coloque as oleaginosas no pote. Coloque água suficiente para cobrir, deixando de 2,5 a 5 cm a mais. Elas incham de leve durante a demolha. De manhã, escorra-as e enxágue-as bem.

2. Coloque as oleaginosas no copo de um liquidificador potente com 31⁄2 xícaras (840 ml) de água. Bata por 2 minutos. Começo batendo na velocidade baixa. Aos poucos vou aumentando a velocidade.

3. Apoie uma peneira fina em cima de uma tigela grande. Forre a peneira com um tecido fino de algodão ou um saco de voal próprio para leites vegetais.

4. Despeje o leite batido por cima do tecido ou do saco de voal. Nessa hora, gosto de deixar a gravidade agir sozinha. Leva mais ou menos 5 minutos para a maior parte do líquido cair na tigela.

5. Pegue o saco ou tecido e aperte delicadamente. Você vai ver que vai sair uma grande quantidade de líquido. Continue espremendo até sentir que o líquido acabou. É uma boa ginástica para as mãos!

6. Se quiser, junte o adoçante de sua escolha e bata novamente por 2 minutos.

7. Coloque a polpa numa assadeira forrada com papel-manteiga. Fica uma massa úmida e com grumos. Com os dedos mesmo, esfarelo a polpa e espalho-a pela assadeira, para que seque com mais facilidade. Não jogue a polpa fora! Há várias formas de aproveitá-la.

8. Com o auxílio de um funil, passe o leite vegetal para o pote de vidro. Guarde-o na geladeira de 3 a 4 dias, ou no freezer por até 2 meses.

OBSERVAÇÕES
* Se quiser adicionar um ou dois adoçantes a essa receita, comece juntando a semente de fava de baunilha, que adoça as preparações sem aumentar a quantidade de açúcar. Coe o leite antes de adicionar o adoçante. Se o leite for adoçado no início do processo, pedaços do ingrediente vão ficar presos na peneira; isso acontece muito com a tâmara. Eu a adiciono depois de coar o leite. Devolvo ao liquidificador e bato mais 2 minutos para deixar a mistura bem homogênea.

Se você usar o extrato de baunilha, o leite ficará com leve gosto alcoólico, já que a receita não vai ao fogo.

* Conforme você for explorando os diferentes tipos de oleaginosas, vai notar que nem todas precisam ser coadas depois do liquidificador.

Algumas oleaginosas, como castanha de caju e pistache, formam um pó finíssimo que passa direto pelo tecido ou saco de voal. Para essas oleaginosas, eu simplesmente bato no liquidificador, ponho no pote, deixo gelar na geladeira e sirvo.

*Não se assuste quando tirar o leite da geladeira e perceber que ele se separou. Basta agitá-lo que ele volta ao normal. O leite vegetal não contém espessantes, emulsificantes nem estabilizadores para deixá-lo homogêneo.

* Se o seu liquidificador não for do tipo profissional, use o comum. Nesse caso, faça o leite em peque nas porções — cerca de 1⁄2 xícara (65 g) de oleaginosas com 13⁄4 xícara (420 ml) de água de cada vez.

* A maioria dos leites vegetais dura de 3 a 4 dias na geladeira, tempo suficiente para usar em vitaminas e no preparo de receitas. A validade um tanto curta dos leites vegetais é justamente o motivo de eu não fazer quantidades maiores. Os leites vegetais industrializados duram mais porque contêm conservantes.

PREPARO: cerca de 15 minutos (sem incluir o tempo de demolha), mais 2 horas de forno para desidratar a polpa para aproveitamento futuro.

Receita: Livro Leites e Manteigas Vegetais - Receitas Caseiras. Editora Alaúde
COMPRE AQUI

2 comentários

  1. acabei de ver o seu blog e fiquei super feliz com tantas informações. Parabéns.

    ResponderExcluir
  2. Oi Eliana, tudo bem?

    Seja muito bem vinda e obrigada pela visita e comentário. Fico feliz que estás aqui e gostaste do blog. obrigada por acompanhar o meu trabalho. Venha sempre me visitar!

    abraços
    Lori Ellis

    ResponderExcluir

Olá,
Seja muito bem vindo e obrigada por visitar o meu blog!
Seu comentário será lido e assim que possível respondido neste mesmo post. Por favor assine o seu comentário para que eu possa conhecê-lo também.Obrigada pela visita e volte sempre!

Lori Ellis